Jovem Doutor

Vila Dalva

O Projeto Jovem Doutor começou em maio de 2008 na Vila Dalva, zona oeste da capital paulista. Em andamento na cidade de Tatuí (SP) e nas cidades de Manaus e Parintins , no Amazonas, o projeto no bairro apresenta inovações: reaproveitamento e reciclagem do lixo para um desenvolvimento sustentável e de combate à dengue (e outras doenças infecto-contagiosas).

Oficinas de diversos temas nas quais são utilizados vídeos do Projeto Homem Virtual (www.projetohomemvirtual.org.br) e cursos de aprendizagem pela Internet, possibilitando a inclusão digital, estão sendo oferecidas à população durante todo o ano. Uma delas, é a construção de uma cooperativa de reaproveitamento de lixo e uma panificadora comunitária.

Idealizado pela Disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), o Projeto Jovem Doutor envolve alunos do ensino médio e universitários de diferentes áreas, para aprenderem e ensinarem noções de saúde, como nutrição, cuidados com a pele e saúde bucal, entre outros, e repassarem a comunidade. Assim, promovem a prevenção de doenças a partir da conscientização e da mudança de hábitos.

A equipe da Disciplina de Telemedicina da FMUSP é multidisciplinar, envolve médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, jornalistas, programadores, psicólogos, engenheiros ambientais, designers digitais, entre outros profissionais.

O projeto Jovem Doutor respeita as características e necessidades de cada região onde é aplicado, sempre com o objetivo de promover desenvolvimento social por meio da educação, saúde, inclusão, digital, cultura e preservação meio ambiente

Oficinas na Vila Dalva

  • Cooperativa de reaproveitamento de lixo no combate à dengue
    A USP Jr em parceria com os Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS), trabalhará no desenvolvimento social de uma cooperativa local para reaproveitamento do lixo. O objetivo é conscientizar a comunidade sobre a cadeia da reciclagem e a importância de se dar um destino correto ao lixo. A cooperativa atuará nas áreas social, ambiental e de saúde ao mesmo tempo, gerando um desenvolvimento sustentável e destinando recursos para a construção de uma panificadora comunitária.
  • Panificadora comunitária auto-sustentável por lixo.
    A panificadora será sustentada a partir da venda de materiais recicláveis da cooperativa, estimulando a comunidade a trocar seu lixo pelo pão. A conscientização da população ajudará a limpar a região e melhorar a alimentação.
  • Aproveitamento integral dos alimentos e orientação nutricional
    A oficina irá orientar a população a ter uma alimentação saudável e como aproveitar integralmente os alimentos, inclusive partes que geralmente são jogadas fora – como talos, cascas e farelos – que são ricos em fibras, sais minerais, óleos e vitaminas essenciais para o bom funcionamento do organismo.
  • Forno solar para economizar gás e diminuir a poluição
    Feito com alumínio, papelão e plástico, ele permitirá o cozimento de diversos alimentos, no período de 2 a 5 horas, usando apenas a energia do sol. Isso evitará a utilização de gás ou outros materiais (madeira, carvão) que poluem.
  • Horta comunitária
    O projeto de horta comunitária que já é desenvolvido pela Prefeitura através do Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS) será também implantado na escola Samuel Klabin. Uma fonte de aprendizado para as crianças que utilizarão os alimentos produzidos para melhorar a qualidade da merenda escolar.
  • Compostagem
    Será ensinada uma técnica simples e fácil de reaproveitar os resíduos orgânicos (cascas de frutas, de ovos, talos de verduras e legumes, borra de café) e ainda produzir um composto para melhorar o solo das plantas e hortas.
  • Telessaúde Brasil – Apoio à Atenção Primária em Saúde
    A educação em saúde promove a prevenção de doenças, a partir da conscientização e mudança de hábitos. Esta iniciativa complementa as ações do Projeto Nacional de Telessaúde em apoio a Atenção Primária do Ministério da Saúde. Entre as suas estratégias está a utilização do Computador da Saúde, que ajuda a melhorar a atenção básica de saúde.
  • Lidando com o alcoolismo
    A oficina irá auxiliar na identificação dos principais sinais do alcoolismo, e a quem recorrer no caso desta doença que afeta mais de 19 milhões de pessoas no Brasil.
  • Educação à distância e telessaúde
    Aprender a usar o computador e a Internet é a melhor forma conhecer o mundo e interagir com os universitários através da Educação à Distância e a utilização dos temas desenvolvidos do Projeto Homem Virtual.
  • Aprendendo a comunicar-se
    O projeto irá treinar os jovens estudantes a transmitirem os conhecimentos aprendidos de forma simples e clara, como falar em público e montar uma apresentação. Jornalistas especializados em saúde do Projeto Jovem Doutor participarão da oficina.